A briga dos subsídios, mais um dilema criado pelo modelo mercantil.

O vídeo, com bom humor, mostra os equívocos e a visão parcial que as autoridades do setor elétrico estão praticando. Uma importante transformação energética está sendo analisada apenas sob o “olhar” de um dos agentes do fragmentado modelo setorial. 

É como se houvesse uma briga incontornável entre uma fonte renovável de energia e os fios de um sistema que transporta essa energia. 

  4 comentários para “A briga dos subsídios, mais um dilema criado pelo modelo mercantil.

  1. Claudio Burtet
    9 de novembro de 2019 at 16:03

    Eu particularmente não vejo desta forma, acho que todos nós devemos compartilhar custos, o problema não se resolve com a isenção de taxas para a nini geração fotovoltaica, mas sim com a devida responsabilidade de todos os setores de geração, porém de forma equalizada. As pessoas falam em fotovoltaica como energia limpa, mas e as baterias para armazenamento, como fica o seu descarte, deveria existir uma taxa para esse problema, mas não existe! O que eu quero dizer é que cada um deve arcar com seus custos!

    • Roberto D'Araujo
      9 de novembro de 2019 at 20:12

      Claro que há custos e o vídeo admite isso. O problema é que há benefícios para todos e não só para o dono de telhado. Como poucos entendem como funciona o nosso sistema, não reconhecem o lado positivo.

  2. Paulo Machado
    9 de novembro de 2019 at 20:31

    “As pessoas falam em fotovoltaica como energia limpa, mas e as baterias para armazenamento, como fica o seu descarte, deveria existir uma taxa para esse problema, mas não existe!”, com o sistema fotovoltaico ligado a rede “pública” não se liga bateria para acumular energia.

    • Roberto D'Araujo
      9 de novembro de 2019 at 20:57

      Hoje a minoria absoluta não tem baterias. No caso brasileiro, nem precisa. A não ser que o governo faça a burrice de taxar o sol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *