Conta de luz continua sem tarifa extra – Folha de São Paulo

Análise do ILUMINA: Devemos ficar felizes com essa notícia? Sem tarifa extra significa que estamos pagando preços razoáveis dada a estrutura do nosso setor elétrico?

Tarifa residencial em US$/MWh (impostos incluídos) para os países da OCDE e comparação com o Brasil. 

Quem quiser conferir, fique a vontade em: https://www.iea.org/publications/freepublications/publication/KeyWorld2017.pdf

Que tal esse “campeonato”, onde estamos em 5º lugar? Onde os nossos “semelhantes” têm preços 150% menores! Considerando que há distribuidoras com aumentos previstos acima de 20%, vamos céleres para o 1º lugar. Depois da privatização da Eletrobras, ninguém nos segura, pois, é bom não esquecer que, dentro dos US$ 267,38 tem as usinas da Eletrobras fornecendo energia a menos de US$ 10! Imaginem quando forem para US$ 70!

A tarifa que consta para o Brasil é a da LIGHT, pois na página da ANEEL é impossível encontrar uma tarifa média com todos os penduricalhos que temos.

Ai o consumidor comum, pensa: Bem, pode ser que tenhamos recuperado os reservatórios com essas últimas chuvas. O gráfico abaixo mostra a real situação.

Como se pode ver, segundos dados do ONS de fevereiro, temos armazenada uma energia equivalente a 1,7 meses de consumo (170% do consumo mensal) em todos os reservatórios do sistema. Dá pra ver que já tivemos quase 4 meses de consumo armazenado. Portanto, estamos longe de estarmos confortáveis.


Bandeira tarifária fica verde em abril, sem cobranças adicionais dos consumidores

29.mar.2018 às 22h29

As contas de luz continuarão com bandeira tarifária verde em abril, o que significa que não haverá cobranças adicionais dos consumidores, por causa de uma condição favorável de geração nas hidrelétricas, principal fonte de energia do Brasil, disse nesta quinta-feira (29) a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

As chamadas bandeiras tarifárias geram custos adicionais quando nos patamares amarelo ou vermelho, acionados em meses em que a oferta de energia é menor.

O mecanismo tarifário, que eleva o custo da energia em momentos de escassez, quando são acionados os patamares amarelo ou vermelho da bandeira, se mantém no verde desde janeiro, com ajuda de uma recuperação no volume de chuvas na região das usinas hídricas do país.

Na reta final de 2017, a bandeira tarifária foi vermelha, impactando os consumidores com um custo extra de até R$ 5 reais a cada 100 kilowatts-hora em eletricidade. Na época, havia previsões de que um período de chuvas abaixo da média histórica poderia levar à continuidade das cobranças adicionais em 2018.

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *