Diálogo ou monólogo?

O Tribunal de Contas da União irá promover um seminário no dia 27/03 sobre a privatização da Eletrobras. A programação está logo abaixo.

A não ser pelo representante do DIEESE, os convidados já manifestaram publicamente suas posições favoráveis à privatização. Portanto, o ILUMINA pode tranquilamente afirmar que, lamentavelmente, há um viés pré determinado no pretenso “diálogo”.

Como já mostramos diversas vezes aqui, qualquer seminário que proponha debater a privatização dessa empresa pública sem antes detalhar que políticas levaram a empresa a esse estado só pode ser entendido como um mero protocolo para disfarçar algo já decidido. A abertura dessa caixa preta jamis será feita pois mostraria claramente o uso da empresa para socorrer um modelo falido e um setor privado totalmente dependente de “muletas” públicas.

O próprio símbolo do seminário revela uma “onda” originada em Brasília e que se espalha como um tsunami pelo país. Vejam a programação:

9h – Abertura

– Ministro Raimundo Carreiro – Presidente do TCU

– Representante do Senado Federal

– Representante da Câmara dos Deputados

– Henrique Meirelles – Ministro de Estado da Fazenda

– Fernando Coelho Filho – Ministro de Estado de Minas e Energia

– Dyogo Henrique de Oliveira – Ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

– Moreira Franco – Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência

– Aroldo Cedraz – Ministro do TCU e Relator do Processo

– Lucas Rocha Furtado – Subprocurador-Geral do Ministério Público junto ao TCU

10h – Painel 1: Visões sobre a Privatização

– Moderador: Ministro Aroldo Cedraz

Painelistas:

– Fernando Coelho Filho – Ministro de Estado de Minas e Energia

– Deputado José Carlos Aleluia – Relator do Projeto de Lei 9.463/2018 na Câmara Federal

– Robson Braga de Andrade – Presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI)

11h20 – Palestra 1: A Eletrobras ontem, hoje e o que Esperar do Futuro

– Wilson Ferreira Júnior – Presidente da Eletrobras

14h – Palestra 2: Estudos sobre a repercussão da privatização da Eletrobras

– Representante do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconomicos (Dieese)

14h20 – Painel 2: Possíveis repercussões tarifárias e sustentabilidade do setor elétrico

– Moderador: Ministro Augusto Nardes

Painelistas:

– Dyogo Henrique de Oliveira -Ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

– João Raphael Lima – Procurador da República

– Romeu Rufino – Diretor-Presidente da Aneel

– Cláudio Sales – Presidente do Instituto Acende Brasil

16h – Palestra 3: Perspectivas e experiências de processos de privatização

– Elena Landau – Economista

16h20 – Painel 3: Modelagem societária prevista para a privatização da Eletrobras: contribuirá para a melhoria de resultados da companhia e do setor elétrico?

– Moderador: Ministro Benjamin Zymler

Painelistas: – Moreira Franco – Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência

– Lucas Rocha Furtado – Subprocurador-Geral do Ministério Público junto ao TCU

– Representante da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

– Paulo Rabello – Presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES)

17h50 – Encerramento do Evento

– Ministro Aroldo Cedraz – Ministro do TCU e Relator do Processo

 

http://portal.tcu.gov.br/dialogo-publico/eventos-passados/dialogo-publico-privatizacao-da-eletrobras-repercussoes-setoriais-para-a-modicidade-tarifaria-e-modelagem-societaria.htm

 

Compartilhe

      6 comentários para “Diálogo ou monólogo?

    1. Pietro Erber
      9 de março de 2018 at 21:07

      Muito “chapa branca”
      Já se sabe o que a maioria vai dizer
      Espero que alguém diga que para ganhar 12 bilhões a União vai perder o controle sobre um patrimônio pelo menos dez vezes maior

    2. José Antonio Feijó de Melo
      10 de março de 2018 at 13:01

      Roberto
      Absolutamente de acordo com sua opinião. Como disse o Pietro Erber, trata-se de um diálogo (?) “muito chapa branca”

    3. José Antonio Feijó de Melo
      10 de março de 2018 at 13:25

      Roberto
      Muito bem colocada a opinião do Ilumina, no seu comentário. Isto pode ser tudo, menos “diálogo” com a sociedade, com o povo.
      Como disse p Pietro Erber, “muito chapa branca”.

    4. Fabrício Barcellos Aguirre
      12 de março de 2018 at 11:09

      Apeans 20 minutos para o DIEESE ? Sem contar com representantes de institutos como Ilumina, Ideal, Gesel, entre outros estudiosos da área, fica tecnicamente incompleto. Deveria haver um painel com o presidente atual e pelo menos mais dois ex-presidentes.

    5. Olavo Cabral Ramos Filho
      13 de março de 2018 at 17:19

      Aos comentadores que me precederam:

      SERÁ QUE VOCÊS ESPERAVAM COMPORTAMENTO HONESTO E PLURALISTA DOS ORGANIZADORES DO EVENTO ?

    6. Mazone
      17 de março de 2018 at 2:56

      pelo que eu vi não é só o dieese: Fiesp ameacou botar o pato na rua por conta da privatização associada à descotizacao; procurador da república é do coordenador da grupo de energia do mpf de defesa da ordem econômica e consumidor; Rufino tá batendo forte no tarifaco; procurador do TCU é crítico com posicionamentos do governo federal; moderador, Ministro Benjamin Zymler é ex empregado de Furnas, defende a Eletrobrás em todos fóruns que vai…
      E de todos eventos q já vi no TCU, eles não tem esse caráter de confrontar politicamente. Dizem q é papel do Congresso Nacional e q os eventos não são audiências públicas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *