Haja celular para “grampear” o Brasil real – Editorial

O dia 26/11/15 pode ficar marcado como um dos raros momentos onde os “negócios” oclusos e escusos escapolem das mãos de alguns gestores do país e estarrecem o cidadão.

A revelação de planos para atrapalhar as investigações da operação Lava Jato por parte do líder do governo no Senado Federal é ameaçadora não só pelo fato em si, mas pela crescente desconfiança de que a sociedade brasileira está “por fora” das reais artimanhas que definem sua vida.

A evidência de que existe uma rede de conexões totalmente desconhecida da sociedade brasileira são muito fortes, o que transforma pessoas e entidades que se baseiam apenas em princípios republicanos em perfeitos idiotas.

É preciso lembrar que o personagem principal do espantoso quadro desse dia tem muito a ver com o setor elétrico brasileiro. O então diretor de Gás e Energia da Petrobrás, no governo FHC, Delcídio do Amaral, foi o mentor dos contratos da empresa com as térmicas “merchants” Macaé, Eletrobolt e MPX. Esse estranho “negócio” previa que a Petrobrás era responsável pela construção das usinas, mas só teria algum retorno se o preço no mercado de curto prazo ultrapassasse US$ 61/MWh. O imbróglio jurídico foi de tal ordem que a maneira encontrada para estancar o prejuízo foi comprar as usinas.

Essa maneira de fazer negócios envolvendo o setor público inspira o Ilumina a examinar as consequências do leilão de usinas hidroelétricas ocorrido no mesmo dia do caso Delcídio.

O que é espantoso é que, agora, depois do fato ocorrido, depois de contratos assinados, a imprensa venha “informar” que “a tarifa do consumidor deve subir”.

http://oglobo.globo.com/economia/negocios/com-novo-modelo-de-concessao-usinas-terao-custo-extra-de-274-bi-ja-em-2016-18145026

http://www.valor.com.br/empresas/4330296/consumidores-vao-pagar-na-tarifa-por-outorga-de-usinas

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,empresa-chinesa-vence-disputa-por-principais-usinas-de-leilao-de-energia,10000002921

Estranhamente, nenhuma reportagem anterior ao leilão esclareceu que esse “sucesso” fiscal também iria desembocar no bolso dos consumidores.

O ILUMINA cansou de chamar a atenção de que a Medida Provisória 688 representa uma inacreditável e grave quebra de princípios. Há 3 anos o governo fazia uma brutal e inédita intervenção no setor elétrico baseada em teses totalmente opostas as que foram adotadas no leilão do dia “Delcídio”.

Infelizmente, por razões muito estranhas, o Ilumina tem sido pouco ouvido pela imprensa.

Para reforçar a desconfiança de que os movimentos efetivos que comandam nossa vida estão submersos, o Ilumina, apenas a título ilustrativo, lembra que a nota técnica 385/2012 –SER/SRG/ANEEL que pomposamente definiu os custos operacionais de usinas antigas que já teriam seus investimentos amortizados, determina valores cerca de 10 vezes menores dos obtidos pelas usinas Ilha Solteira e Jupiá adquiridas pelo grupo Chinês.

A tarifa vai subir, o critério deu uma cambalhota  ….  e fica tudo por isso mesmo. Não há celulares suficientes para gravar o Brasil real.

 

 

  3 comentários para “Haja celular para “grampear” o Brasil real – Editorial

  1. Luiz Pereira
    26 de novembro de 2015 at 12:18

    E além de tudo o que foi dito por você, Roberto, ainda tem um fato muito grave: a MP 688 assegurou a aquisição pela empresa chinesa CTG das melhores hidrelétricas do leilão, o filé mignon, sem necessidade de se consorciar com empresa brasileira. É a privatização e a desnacionalização de usinas estatais, ao mesmo tempo.
    Quanto ao pagamento de outorga, que foi justificado pelo fato de uma empresa estar se tornando concessionária de um bem público já pronto, pode-se até admitir que seja correto exigir esse pagamento, mas o errado e espantoso é permitir que a empresa ganhadora possa reaver o dinheiro desembolsado, cobrando na tarifa dos consumidores. Mais uma vez o consumidor paga a conta, agora para uma empresa chinesa.
    Luiz Pereira

  2. Felipe
    26 de novembro de 2015 at 21:36

    Postei hoje cedo no facebook exatamente isto:

    Sim, somos o único pais do mundo a leiloar usinas para quadruplicar a tarifa energética e comemorar. Parabéns aos idiotas que veneram esse governo.
    So um salto de 30 para 125 reais. A energia mais barata de todas as fontes ficando mais cara que eólica.
    Serão 30 anos de saque direto do bolso do povo e auxilio a inflação

    • Roberto D'Araujo
      27 de novembro de 2015 at 8:25

      Além disso, Felipe, financiamentos, que poderiam ser destinados a novas usinas, vão para pagamento de barbeiragens fiscais e não acrescentam nenhum novo kW. Uma outra enganação é o valor de R$ 30/MWh. Esse é o valor médio de todas as usinas atingidas pela redução compulsória, mas quando a média é feita ponderando-se pela garantia física, o valor é menor ainda. A média das usinas da Eletrobras não passa de R$ 10/MWh. E, como se vê, não adianta nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *