O Brasil rumo ao vexame – Números

Cansado de discussões políticas? Sem dilemas e polarizações, com base em dados, é possível ficar pelo menos desconfiado que as políticas dos governos recentes e do atual nos levam a um vexame internacional.

Vejam o interessante Youtube a seguir: Os 20 principais países do mundo que produzem mais hidreletricidade 1965 a 2018

Reparem na lista de países na imagem final.

A tabela a seguir mostra o seguinte:

Amarelo – Controle do Estado ou majoritariamente estatal.

Cor de Rosa – Majoritariamente privado.

Verde – Majoritariamente privado em termos de capacidade, mas, ainda estatal em termos de produção de energia.

Se o Brasil privatizar a Eletrobras, vai ser o único país do planeta com grande dependência de usinas hidroelétricas e que terá tudo nas mãos do setor privado. 

Brasil, rumo ao vexame!

  3 comentários para “O Brasil rumo ao vexame – Números

  1. ROLDAO LIMA JUNIOR
    12 de novembro de 2019 at 16:49

    O Brasil está no VEXAME há muito tempo. Fazem 30 anos. Dívida pública monstruosa e impagável. Credibilidade em baixa, junto aos investidores estrangeiros. Parque industrial defasado, onde as montadoras de veículos internacionais são as ilhas de modernidade. Ciência e tecnologia da “tempo do onça”. Dependência tecnológica em crescimento. Educação e saúde em frangalhos. Mão-de-obra desqualificada. Corrupção em todas as esferas do Poder Civil. Não temos poder disuassório contra ameaças externas. Isso tudo, somado aos 13 milhões de desempregados, é o resultado dos desgovernos brasileiros dos últimos 30 anos. É o país do vexame, da esbórnia, da irresponsabilidade, da roubalheira

  2. Maurício
    13 de novembro de 2019 at 10:40

    Milicada a solta, deixaram de cortar grama e pintar árvores nós quartéis para infernizar a população. Mas o que eu quero deixar aqui é mais uma pérola do falastrão.

    https://epbr.com.br/privatizacao-da-eletrobras-deve-reduzir-tarifas-para-os-consumidores/

    • Roberto D'Araujo
      13 de novembro de 2019 at 12:53

      Ok

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *