O ILUMINA lança o #euavisei.

 

Há algo de comum em todos os candidatos à presidência: o completo desprezo aos problemas do setor elétrico brasileiro. Um candidato representa o governo que quase destruiu a Eletrobrás, o outro promete privatizar, mas não sabe exatamente o que.

Até parece que está tudo bem com esse serviço essencial ao consumidor e à economia, mas é o contrário:

  1. O ILUMINA vem apontando que a tarifa de energia elétrica sobe constantemente desde 1995.
  2. O ILUMINA mostrou que, mesmo com a desvalorização do Real, o brasileiro paga pelo menos o dobro do que pagam consumidores de sistemas semelhantes, Canadá e Noruega.
  3. O ILUMINA mostrou que, por distorções do modelo implantado, enquanto os consumidores clientes de distribuidoras pagavam preços crescentes, o mercado livre se lambuzou de energia quase gratuita por 10 anos.
  4. O ILUMINA mostrou que a parir de 2003, com a queda da demanda decorrente do racionamento, a Eletrobrás foi praticamente a patrocinadora do crescimento do mercado livre de energia sendo obrigada a gerar sem contrato.
  5. O ILUMINA mostrou que o modelo exigiu uma série de encargos inexistentes anteriormente. A sopa de letrinhas é enorme: P&D, CDE. ESS, TFSEE, PERCEE, UBP, GSF.
  6. O ILUMINA mostrou que no período 2008 – 2012, o consumo de energia total tangenciou a garantia do sistema, que está superestimada. Se não fossem as hidrologias excepcionais de 2009 e 2011, poderíamos ter racionamento.
  7. O ILUMINA mostrou que o setor privado não investe o suficiente na expansão. O mercado livre, que responde por 30% do consumo, não contratou usinas no longo prazo e “vai de carona” no mercado regulado.
  8. O ILUMINA mostrou que, não fossem as parcerias da Eletrobrás, a expansão estaria estagnada. Essas sociedades, mal geridas e mal contratadas, geraram um grande prejuízo à empresa.
  9. O ILUMINA mostrou que a medida provisória 579, que tentou inutilmente reduzir tarifas, anulou a capacidade de financiamento próprio do setor, isentou todas as outras razões de aumento de tarifa e trouxe insegurança jurídica.
  10. O ILUMINA mostrou que, enquanto se destruía a Eletrobrás, empresas atuantes no setor lideraram o pagamento de dividendos aos acionistas.
  11. O ILUMINA mostrou que, como exemplo máximo da distorção, comercializadoras chegaram a ter rentabilidades acima de 80% no mercado livre.
  12. O ILUMINA mostrou que, apesar do consumo estar estagnado desde 2014, há 5 anos os reservatórios não conseguem encher e, ironicamente, o sistema apresenta “sobra” de garantia.
  13. O ILUMINA mostrou que a contratação de térmicas caras que ficam a maior parte do tempo desligadas, mas contabilizadas como oferta, na realidade esvaziam os reservatórios.
  14. O ILUMINA mostrou que as bandeiras tarifárias que parecem baratas por 100 kWh, na realidade, significam um custo extra de quase 20% sobre o preço do kWh.
  15. O ILUMINA mostrou que há 90 bilhões de custos que recairão sobre os consumidores.
  16. O ILUMINA mostrou que as distorções do modelo são tão “espetaculares” que o setor está totalmente judicializado.

Quando uma lista tão extensa soa como “novidade” para a maioria dos consumidores, só resta lamentar e aguardar o verdadeiro “redemoinho” sugador de dinheiro que virá. #euavisei

Compartilhe

      3 comentários para “O ILUMINA lança o #euavisei.

    1. Adilson
      10 de outubro de 2018 at 11:24

      Roberto
      Sua lista indica que o sistema vive à beira do abismo
      Infelizmente, só quando surge o risco de racionamento a sociedade se mobiliza
      Porem é provavel que o colapso financeiro ocorra antes do racionamento
      Como diria o Papa, Deus tenha piedade de nós

    2. José Antonio Feijó de Melo
      10 de outubro de 2018 at 11:41

      Roberto
      Muito bom e oportuno este levantamento daquilo que “o Ilumina avisou” ao longo do tempo sobre os “equívocos” que se repetiam no setor elétrico brasileiro nestes já mais de vinte anos e que não receberam a atenção dos responsáveis, nem da própria sociedade, registre-se.
      A respeito, acho que não seria demais acrescentar aqui mais um aviso que o Ilumina fez em documento publicado na sua página, em dezembro de 2012, sobre a MP 579, quando a mesma ainda não havia sido aprovada pelo Congresso e transformada na Lei 12.783, conforme trecho que reproduzo abaixo:
      “… o que pretendo aqui é chamar atenção para o fato de que a redução tarifária produzida pela MP-579 será pontual, episódica e não duradoura, pois se baseia em premissas que não atacam as verdadeiras causas das absurdas elevações tarifárias registradas continuamente e que logo, logo voltarão como parte intrínseca do modelo vigente no setor elétrico. E pior, trará como consequência inevitável o desmantelamento do sistema produtor de energia elétrica estatal, seja da área federal, representada pelo grupo Eletrobras e suas subsidiárias, seja da área estadual,…”.

    3. Olavo Cabral Ramos Filho
      11 de outubro de 2018 at 9:15

      O Adilson diz que o sistema ( ELÉTRICO !!!) vive a beira do abismo.

      Não seria o fascismo esse abismo ???

      Ou será que o Ilumina ficará feliz vivendo nesse abismo ?

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *