O Petit Comitee – Novidades

Inicialmente, veja o vídeo abaixo:


Não somos adeptos das hipóteses de grandes conspirações. Mas, temos que admitir que está cada vez mais difícil não considerar que a classe política brasileira não tem um projeto secreto e multi partidário de desmonte de suas empresas estatais. O comentário do vídeo foi feito pelo Sr. Fernando Henrique Cardoso após a palestra do atual presidente da Eletrobras (*), que simplesmente aponta as “maldades”, como se fossem todas desconectadas do “partido” da plateia. É inacreditável que um ex-presidente não tenha a mínima autocrítica sobre a sua parte no “legado”.

  1. Senhor Fernando Henrique, seu governo privatizou a Vale do Rio Doce, toda as telecomunicações, toda a siderurgia e, preste atenção, 26 empresas do setor elétrico! Nessas, estava incluída a geração da Eletrosul, hoje Tractebel.
  2. Sabe o que ocorreu com a dívida do setor público? Ela subiu de 37% do PIB para 76%! Portanto, em termos de alívio do estado, o efeito foi o inverso do pretendido.
  3. O Sr. privatizou o “filé mignon” das distribuidoras e as empresas “osso” foram “federalizadas”. Na realidade, o abacaxi ficou nas costas da Eletrobras, cuja trágica palestra do presidente, o senhor gostou tanto. Traduzindo, parte da destruição da estatal é sua obra! Pena que autocrítica não faça parte do seu vocabulário.
  4. O seu projeto de mercado livre provocou o maior racionamento que um país já teve que aturar sem guerras e sem desgraças naturais. (Informe-se sobre a hidrologia de 2001). Na realidade, o racionamento foi provocado pela interferência na Eletrobras que ficou proibida de investir. Apenas uma linha de transmissão conectando a região Sul à Sudeste (já planejada), aliviaria boa parte da penúria energética do sudeste. O setor privado não se interessou e a Eletrobras foi impedida. Isso foi o corporativismo??
  5. Não contente com isso e com a ajuda de seu “adversário”, o Sr. Lula, o Sr. provocou um dos grandes prejuízos já causados em usinas hidroelétricas no planeta! Descontratadas em benefício de algumas térmicas, foram obrigadas a gerar energia recebendo para isso menos de US$ 4/MWh. Inédito no mundo! Informe-se! Essa foi o primeiro tiro no pé em parceria com seu “adversário”.
  6. A perda nao se limitou à Eletrobras. Algumas térmicas que a Petrobras assumiu serviram de trampolim contábil para pôs-contratos PLD +X%, um sistema de mercado “virtual” que tem distorções evidentes. A Petrobras dona do maior parque de térmicas só perdeu
  7. Do outro lado, o mercado livre, bolado no seu governo, mas levado adiante pelo seu “adversário”, fez um verdadeiro Bolsa MW às custas de …adivinhe quem? Eletrobras!
  8. Se o sr. quisesse realmente moralizar as empresas estatais, bastaria enviar ao congresso um projeto tornando-as empresas de estado, com direção profissional, não política, mandato fixo e contrato de gestão. Tentou? Claro que não!
  9. A imagem que o sr. defende é que se corte os braços do polvo mas se mantenha o cérebro “malvado” do estado. O ridículo é que muitos desses braços cortados querem ajuda do cérebro. Alguns provocam mais dívidas e outros chegam a matar um rio!!

O ILUMINA pergunta a seu instituto: Qual é vantagem de debater esses assuntos em petit comitee? Por que não chama as universidades e o ILUMINA, já que o sr. não gosta dos sindicatos?

(*) Para ver o estrago causado na Eletrobras pela dupla PSDB&PT com a ajuda de outros partidos, 

 

Compartilhe

      8 comentários para “O Petit Comitee – Novidades

    1. José Antonio Feijó de Melo
      11 de agosto de 2017 at 13:55

      Roberto
      Excelente resposta a esse “enganador”, que passou a vida iludindo o povo brasileiro. A história certamente registrará para a posteridade quem verdadeiramente é (foi) este cidadão.

    2. Carlos HC Berendonk
      11 de agosto de 2017 at 14:05

      O que um empresario virá ou não a ganhar com a privatização depende das condições do mercado e de seu talento para prevê-las corretamente.
      As privatizações foram muito necessárias, um pouco enegrecidas pelas desordens regulatórias que foram introduzidas por erros gerenciais.
      Num artigo como este, o Comitê Ilumina se esquecer das maldades que Dilma trouxe, desde sua atuação como Secretaria do lula é tapar a peneira com o Sol ( uma necessária inversão).
      O Ilumina é o PSOL das entidades críticas do Brasil.

    3. Agenor de Oliveira
      11 de agosto de 2017 at 14:43

      Não há como não se indignar diante de tanta cara de pau, pra se dizer o mínimo! A elite política dominante não faz autocrítica e, sim, negócios. Para eles, o futuro é amanhã..E as necessidades reais do país que se lasquem. A privataria das telecomunicações comandada pelo governo FHC é responsável por tarifas impagáveis e péssima qualidade dos serviços. No setor elétrico, voltamos ao tenebroso passado dos anos 90. Querem repetir a mesma estratégia de transferência de bens públicos para a iniciativa privada sob o pretexto falacioso de abater a dívida pública.. Os erros “técnicos” que vêm sendo cometidos nas análises e propostas para o setor não são do desconhecimento das consultorias contratadas pelo desgoverno de plantão. “Erram” porque atendem aos interesses de quem os pagam com dinheiro público. Enquanto os criticamos com punhos de renda técnicos, essa turma chafurda sorridente na lama do dinheiro fácil da cooptação.

    4. José Carlos Rosa e Silva de Abreu Vasconcelos
      11 de agosto de 2017 at 18:29

      Roberto,

      Parabenizo pelos comentários e endosso plenamente os mesmos.

    5. caio
      13 de agosto de 2017 at 20:45

      O projeto deles é não ter projeto nacional. A privatização do setor elétrico resultou em crescimento elevado dos preços e nenhuma evolução da qualidade do serviços, vide os bueiros voadores da Light e os gordos dividendos que a empresa distribui enquanto presta um serviço de péssima qualidade.
      http://brasildebate.com.br/temer-e-o-setor-eletrico-privatizacao-e-aumento-de-precos/

    6. Olavo Cabral Ramos Filho
      14 de agosto de 2017 at 10:12

      SINTESE:

      DE FHC NADA SE PODE ESPERAR NO CAMPO DO CARÁTER

    7. Miguel S L Sampaio
      16 de agosto de 2017 at 2:20

      FHC, um vaidoso ex- presidente que não gosta do Brasil, por isso quer vendê-lo a qualquer custo! Um sociólogo(?) que admite que pratica teses contra a sua formação simplesmente pq o sistema político “deu cupim”, é o máximo da falta de caráter! Ainda cita Sergio Buarque colocando a culpa na colonização portuguesa para se justificar! É como dissesse: não tem jeito então vamos vender o país! Portanto viva a Samarco e dane-se Mariana e outras cidades inundadas com sua lama, viva as operadoras de telecomunicações que promovem umas das maiores tarifas e os piores indicadores mundiais de desempenho. Isso, para FHC, é eficiência! Agora, cabe uma pergunta: uma vez privatizado, quando iremos estatizar novamente, como já foi feito no passado, já que as privadas não se interessavam em investir? Aguardemos os próximos apagões e racionamentos! A história se repetirá!
      Excelente matéria do ILUMINA. Parabéns!

      • Roberto D'Araujo
        16 de agosto de 2017 at 18:18

        Miguel, recursos financeiros destinados a capacidade existente! Expansão zero! Grato!

    Deixe uma resposta para José Antonio Feijó de Melo Cancelar resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *