Onde estão nossas caixas d´água? Como estão cheias?

Roberto Pereira D´Araujo

É grande a preocupação dos consumidores com sua conta de luz e com a situação dos reservatórios, uma vez que, só reenchendo essa grande “caixa d´água”, é possível imaginar uma conta mais baixa em 2022.

Portanto, duas perguntas deveriam ser bem esclarecidas:

  1. Onde estão essas “caixas d´água”?
  2. Qual a situação de enchimento delas no dia 23/10?

A primeira pergunta é respondida com essa tabela:

Pela cor, se consegue saber em que região do Brasil estão as usinas.

Por exemplo, o reservatório de Furnas representa pouco mais de 12 % de toda a capacidade de estoque de todo o sistema interligado. Reparar a concentração da reserva nas usinas da região SE e CO.

A segunda pergunta é respondida com essa tabela:

A soma desses percentuais chega a 23%, uma reserva muito baixa. 

Usando o exemplo de Furnas, apesar de seu reservatório responder por 12% do estoque total, na atual situação, a energia reservada é apenas 2% do total. Atenção: Esse não é o nível de armazenagem do lago de Furnas. É o percentual da reserva de energia total que está armazenada no lago em Furnas. Reparar que Sobradinho e Serra da Mesa estão com mais reserva do que Furnas.

Obs: A usina de Três Marias e Serra da Mesa aparecem duas vezes pois sua reserva está contabilizada em duas regiões vizinhas.

Obs: Essa contabilidade tem um viés de otimismo, pois imagina que qualquer fluxo de energia entre regiões é viável.

  3 comentários para “Onde estão nossas caixas d´água? Como estão cheias?

  1. Sérgio
    24 de outubro de 2021 at 19:08

    A segunda Observação, somada ao Não despacho das Térmicas, devido ao elevado CVU, que provoca o uso demasiado dos reservatórios, estão intimamente relacionados com os Modelos de Otimização utilizados no Setor Elétrico, portanto, se é necessário um novo rumo no Planejamento Energético do País, também se faz necessário a utilização de outras ferramentas de otimização.

  2. Ivo Pugnaloni
    28 de outubro de 2021 at 10:05

    Mas estamos proibidos pelas ONGs pagas pela Exxon, Texaco, Koch e um certo professor da Coppe UFRJ de construir novos reservatorios…

    • Maurício
      6 de novembro de 2021 at 17:52

      Sim, os ecologistas radicais nos colocaram nesta situação, agora não adianta reclamar, ser a favor da ecologia é uma coisa ser débil mental é outra. Um exemplo é a energia nuclear que a alguns anos atrás 100% desta “raça” era contra hoje isso já mudou um pouco. Energia hídrica mesmo com reservatórios enormes é melhor que térmicas a carvão, a gás e até a nuclear, se os radicais não tivessem enchido o saco hoje nós estaríamos melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *