Preço do barril de petróleo – Caro ou barato?

A questão ambiental está incomodando a indústria do petróleo, pois pelo menos 2 gases de efeito estufa estão ligados à cadeia dessa fonte energética. São eles o dióxido de carbono, que representa 65% desse efeito e o óxido nitroso que acrescenta mais 6% ao agravamento da questão climática.

Fonte: (https://www.epa.gov/ghgemissions/global-greenhouse-gas-emissions-data)

Portanto, o futuro do petróleo está num momento de incerteza pelo efeito climático e pela entrada de fontes renováveis.

Se o preço do barril diz alguma coisa, quando se olha a evolução do preço histórico, temos uma ilusão de que ele já foi muito mais barato do que os níveis praticados hoje. Por exemplo, até a crise da década de 70, esse preço se situava abaixo de US$ 10.

 

Entretanto, se corrigimos esses preços históricos pela inflação do dólar, obtemos a curva vermelha, que nos dá uma outra ótica dessa evolução.

Como se pode perceber, os níveis médios de 2019 (US$ 46) não são tão diferentes do nível corrigido de 1948 (US$ 35). Na década de 90 o preço atingiu US$ 18 em 1998, abaixo dos preços do pós guerra!!

Evidentemente que esses preços não podem descrever todo o emaranhado de questões envolvidas, mas é preciso levar em conta que o valor corrigido pode mostrar uma outra narrativa.

No caso do setor elétrico, um outro aspecto parece ter sido esquecido até agora. É a eficiência energética de cada fonte desde a origem do seu combustível. Usinas térmicas não usam apenas a energia do combustível alimentando suas turbinas. Muita energia foi necessária para se retirar esse combustível da terra e transportá-lo até a usina. A eficiência deve ser analisada desde a origem da fonte primária. 

No caso de usinas hidráulicas, eólicas e solares, o custo energético de “combustível” é zero. Esse tipo de análise ficou no esquecimento até que os problemas ambientais e as fontes renováveis surgissem no horizonte.

Será que estamos levando em consideração todas essas mudanças de ótica e todas as implicações que elas têm no nosso singular sistema?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *