Risco de Racionamento, nós estamos avisando – Estudo

A imprensa, hoje, dia 24/10/2017, está repleta de notícias sobre a possibilidade de termos outro racionamento. Geralmente os dados fornecidos para embasar a matéria são os baixos níveis dos reservatórios.

O ILUMINA prefere mostrar esse armazenamento em unidades energéticas (GWh) em comparação com a carga de cada mês, também em GWh.

O gráfico abaixo mostra que o armazenamento total do sistema em setembro equivale a um pouco mais da carga mensal atual. Isso está ocorrendo num sistema que é capaz de armazenar o equivalente a cinco cargas mensais!

Evidentemente a situação difere bastante da de 2001. Hoje temos térmicas e eólicas para ajudar o suprimento, mas, como se pode ver no gráfico abaixo, a carga brasileira está estagnada desde 2014. Imagine-se o que aconteceria se a carga estivesse no entorno de 49.000 GWh!

Na realidade, o que está “afastando” o racionamento é a enorme crise econômica do país e não, como alardeia o governo, as bandeiras tarifárias.

Quem analisa os dados do uso de geração térmica desde 2004, estranha o repentino “salto” de 10% da carga para mais de 20% nos últimos meses de 2012, justamente no período de anúncio da redução artificial de tarifas da MP 579 no governo Dilma. Certamente essa política ajudou a esvaziar reservatórios.

A questão não é ter ou não ter racionamento. A questão é que, com o preço que o consumidor paga, o risco já é um absurdo.

Relembrando, a tarifa brasileira é aproximadamente o dobro da que se pagava em 1995.

Relembrando, a situação hídrica atual não é inédita. O histórico de afluências de 87 anos mostra situações piores.

Compartilhe

      1 comentário para “Risco de Racionamento, nós estamos avisando – Estudo

    1. José Carlos Rosa e Silva de Abreu Vasconcelos
      25 de outubro de 2017 at 16:11

      Roberto,

      Resumindo, a situação do setor elétrico nacional é caótica devido a implantação e manutenção de um modelo esdrúxulo.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *