Sobre a redução da conta de energia elétrica

 

Comentário 1

 

A indústria colocou a culpa da sua baixa competitividade na energia e parece que “colou”. Não é que a conta de luz esteja barata, muito ao contrário! O que fica esquecido é que a maioria dos industriais não paga a tarifa que nos envergonha. Estão no mercado livre, onde, além de não se saber os preços, predominam contratos de curto prazo, que, evidentemente, inviabilizam a expansão da oferta. Não querem nem que se divulgue nem um índice de preços. Porque será?

Segundo dados da própria CCEE(1) quase 20% do consumo registrado é liquidado com “contratos” mensais! Como cerca de 30% da carga está no mercado livre, 6% da nossa carga total é “movida” a contratinhos especulativos. É como se toda a carga do estado do Paraná fosse levada mês a mês. Toda vez que o preço PLD(2) dispara os “surfistas” ficam expostos e, pasmem, ainda reclamam! Se algum dia a história abrir essa caixa preta, mais um escândalo vai se juntar à nossa coleção. As concessões vão vencer em 2015 e não se vê uma contabilidade sequer para provar que o consumidor já pagou por elas. Aparece um 28% que ninguém sabe de onde saiu. Quando se escondem cálculos que deveriam ser abertos, pode-se esperar qualquer arbitrariedade, aliás, prática que não surpreende dado o estilo do governo. A derrocada das empresas estatais pode estar mais perto do que se imagina, com o agravante de que, hoje, a sociedade está pouco se lixando para elas. O que é mais irônico é que, desde 2003, não há sequer um kWh cujo preço não tenha sido definido pelo “sacralizado” mercado, o mesmo sistema que prometia baratear a energia. Ao contrário, hoje somos o mais caro país hidroelétrico do planeta.

 

Roberto Pereira d´Araujo

 

 

 Comentário 2

 

O anúncio do governo em setembro/2012 diz que a redução nas contas de energia elétrica será iniciada em janeiro/2013  e vai ser de 16.2% até 28%. Solicitamos que cada consumidor residencial de energia elétrica confira a exatidão desse “benefício” a partir das contas de fevereiro/2013 e envie os resultados ao Ilumina, para análise e divulgação.

 

Comentário 3

E a redução do ICMS(3), que é de competência dos Estados e tem um peso considerável, quando será feita?

 

(1)    CCEE=Câmara de Comercialização de Energia Elétrica

(2)    PLD=Preço de Liquidação das Diferenças

(3)    ICMS=Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços