Você transitaria seu carro por essa estrada sem estepe? – Artigo

Roberto Pereira D’Araujo

Há muita gente que não gosta muito de metáforas, mas, no Brasil, por vezes, temos que usar uma analogia para poder explicar o óbvio.

A Eletrobrás significou para o país muito mais do que um pneu estepe, mas, depois de seu uso em tantas intervenções em defeitos externos à estatal, é preciso explicar que estamos prestes enfrentar esse terreno sem ter sequer a função “estepe” da Eletrobrás.

É um exagero dizer que a Eletrobrás foi usada como pneu estepe numa estrada esburacada? Entendemos que não. Apesar de já termos mostrado esses percalços aqui algumas vezes, não custa mostrar os “buracos” que a estatal teve que enfrentar. Atenção! Os “buracos” não foram criados pela Eletrobrás! Chamamos a atenção para os itens em Negrito.

  1. Uma privatização pela metade e um modelo mercantil mimetizado e repleto de indefinições. (1995)
  2. Distribuidoras rejeitadas empurradas para a Eletrobrás.
  3. Investimentos das estatais interrompido.
  4. Racionamento. (2001)
  5. Preço de curto prazo explode.
  6. Contabilização no mercado interrompida, inadimplência e necessidade de intervenção do estado, inclusive com financiamento BNDES.
  7. Aumento tarifário para recompor receita das distribuidoras com a queda do consumo. (2003 – 2004)
  8. Manutenção da descontratação (principalmente da Eletrobrás) apesar da queda da demanda.
  9. PLD assume valores mínimos e causa prejuízo às usinas hidroelétricas da Eletrobrás descontratadas, gerando e proibidas de atuar no mercado. (2003 – 2007)
  10. Proliferação de encargos antes inexistentes.
  11. Crescimento acelerado do número de agentes no mercado livre atraídos pelos preços baixos.
  12. Contratos de curto prazo prevalecem em função dos preços formados com base no custo marginal de operação.
  13. Mercado livre não participa da sustentação da expansão com contratos de longo prazo.
  14. Mercado cativo assume sozinho o papel de contratante de longo prazo.
  15. Subsídios para consumidores especiais no mercado livre transpõe custos para o mercado cativo e para outros.
  16. Garantias físicas dão sinais de estarem superestimadas. Revisões apenas pontuais.
  17. Leilões de energia de reserva (encargo). (2008)
  18. Contratação de grande quantidade de térmicas.
  19. Implantação das parcerias com a Eletrobrás para sustentar a expansão. (2008 – 2014)
  20. Tarifas continuam subindo. (2015)
  21. Mercado livre judicializado (2016)
  22. Adoção da MP 579 para reduzir tarifas às custas de ativos amortizados.
  23. Custos de O&M são definidos de forma exógena aos dados das usinas. Valores insuficientes para manutenção. Eletrobrás atingida. (2013 – 2018)
  24. Risco hidrológico apresenta déficit bilionários nas usinas hidroelétricas. Cerca de R$ 20 bilhões dependentes de ações judiciais. (2013 -2018)
  25. Autofinanciamento do setor reduzido praticamente a zero.
  26. Tarifas continuam subindo. (2019)
  27. Distribuidoras “empurradas” vendidas, mas com prejuízo para a Eletrobras e para a União.
  28. Privatização da Eletrobrás = aumento de tarifa (futuro)

O que é grave é que o motorista desse carro (consumidor) acha que o defeito não é da estrada, é do carro! Pior! Quando tem que usar o estepe (Eletrobrás), aceita a ideia de que o defeito é do estepe!

Como a estratégia do atual governo se resume a vender ativos e, já que o motorista aceita a “tramoia” de que o defeito é do carro e do pneu, vamos ficar sem o estepe. A promessa é que, de repente, vindo do nada, tudo será diferente e o “asfalto” será liso como mármore. Igualzinho ao lindo futuro que foi “vendido” na década de 90.

Preparem-se para ficar pelo caminho.

 

Compartilhe

      1 comentário para “Você transitaria seu carro por essa estrada sem estepe? – Artigo

    1. Pedro
      20 de agosto de 2019 at 18:25

      Com certeza! Mas há quem comemore achando que a culpa das tarifas altas é da Eletrobras estatal, o que é justamente o contrário.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *