Parem de me acusar! – Assinado São Pedro.

Roberto Pereira D´Araujo

São Pedro, nos envia esse Whatsapp para mostrar que ele não é idiota! Repassamos!


Sou sempre acusado como responsável das besteiras realizadas por vocês!!!

 Precisam deixar de ser preguiçosos e olhar os dados de afluências dos rios da região sudeste para entender que a crise hidrológica atual não é inédita!!

Olhem aí a comparação da “crise desculpa” para tudo e o período crítico da década de 1950! Os anos com a % da média em vermelho foram piores que os que vocês estão reclamando!!!

Estão reclamando de esvaziamento de reservatórios??

VOCÊS é que esvaziaram!

Estão vendo o gráfico abaixo???

É a proporção de energia das usinas térmicas no seu sistema. Não sou responsável por isso!

Estão vendo aquela marca amarela? É a tal da MP 579 que vocês inventaram!

Repararam que depois dela vocês ligaram as térmicas para valer?

Pois é! Agora olhem as marcas brancas!

Sabem o que mostram? Mostram o período úmido do ano, onde eu mando mais chuva. Repararam que, ao contrário da pós MP 579, vocês diminuíram a geração de energia das térmicas???

Pois é!  Vocês mudaram o padrão de antes e resolveram ser “otimistas” desligando térmicas. Sabe o que resultou isso?

VOCÊS ESVAZIARAM OS RESERVATÓRIOS!!!

Ahhh, as térmicas são caras? Construam mais fotovoltaicas, eólicas ou HIDROELÉTRICAS médias!

Não sou consultor energético de vocês e não ganho nada com isso, mas deixem de ser idiotas!

1 – Está faltando cuidado com as florestas!

2 – Como isso não é uma solução imediata, ESTÁ FALTANDO INVESTIMENTO! Mais usinas, de qualquer fonte, melhoraria o estoque!

3 – Parem de acreditar que o capital investiu ou investirá gratuitamente na energia de vocês! Só faz isso com a ajuda do estado ou da Eletrobras que vocês estão destruindo!

É bem capaz de que essa mudança tenha sido causada pela maluquice da “garantia física” que inventaram para as usinas e, quando ela não consegue gerar, têm que comprar energia no “mercado” e tem prejuízo! Aí, apesar da operação não ter nada com isso, resolveram turbinar a água do período úmido para tentar reduzir o “risco hidrológico”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *