Diretor de agência reguladora afirma que tarifas de energia estão atingindo níveis preocupantes – Estadão

Análise do ILUMINA: Só agora? Acordou, ANEEL? Que tal explicar as razões?

Até o Bom Dia Brasil da Rede Globo apresentou uma matéria sobre a preocupação da ANEEL perante a explosão tarifária que, como temos avisado, não começou agora.

Tarifa Industrial média (R$/MWh) – sem impostos

Os consumidores brasileiros precisam entender que, além do encarecimento, as contas por trás das faturas ficaram extremamente complexas. Gerar eletricidade, transmitir por fios e consumir é um processo simples. Energia cinética (turbinas rodando) geram uma corrente que é transmitida por um fio e a quantidade é medida na casa do consumidor. Entretanto, o modelo que trata energia como mercadoria cria custos antes desnecessários. A figura abaixo ilustra o surgimento no tempo de encargos que desembocam na fatura de luz.

O ILUMINA vai tentar explicar a razão de cada um desses custos extras proximamente. Por enquanto, o ponto a ser observado é a cronologia. Todos surgiram após a reforma de 1995.


Anne Warth, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, disse que as tarifas de energia estão atingindo níveis preocupantes. Rufino fez o comentário durante as discussões para definir a nova taxa mínima de retorno (WACC, na sigla em inglês) do setor de distribuição. Ao longo do processo, representantes de consumidores reclamaram do peso da conta de luz no orçamento das famílias.

Diretor-geral da Aneel destacou o esforço que as empresas do setor fazem para melhorar os níveis de eficiência e de prestação do serviço. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

“Isso de fato nos incomoda também, e acho que a todos, às distribuidoras, aos consumidores, ao regulador, porque o valor da tarifa está assumindo um patamar muito preocupante. Isso impacta toda a indústria. A gente precisa discutir isso de maneira mais efetiva”, afirmou.

O diretor-geral da Aneel destacou que o esforço que as empresas do setor fazem para melhorar os níveis de eficiência e de prestação do serviço, que poderia reduzir as tarifas, tem sido “neutralizado” pelo aumento dos subsídios, pagos por meio de encargos setoriais embutidos na conta de luz.

Para 2018, os subsídios na conta de luz custarão R$ 18,843 bilhões e devem aumentar a tarifa em 2,14%. Rufino lembrou que, “infelizmente”, há iniciativas em discussão no Congresso para elevar o grupo de beneficiários e o valor dos subsídios. “Isso bateu no limite de capacidade de pagamento do consumidor”, afirmou.

“Todo esforço que se faz na melhoria da eficiência, na gestão da prestação do serviço, é em grande medida neutralizado por um crescimento do conjunto de subsídios que leva ao aumento da CDE em torno de 30%. Essa é uma realidade que o setor elétrico precisa discutir”, disse Rufino.

A carga tributária que incide sobre a conta de luz também foi criticada pelos representantes de consumidores. Questionado sobre o risco hidrológico e os impactos da guerra de liminares no mercado de energia, Rufino disse que essa é uma realidade que o setor elétrico precisa enfrentar de maneira mais efetiva.

Compartilhe

      3 comentários para “Diretor de agência reguladora afirma que tarifas de energia estão atingindo níveis preocupantes – Estadão

    1. José Antonio Feijó de Melo
      7 de março de 2018 at 20:39

      Roberto
      Para que palavras? O gráfico diz tudo. Estranho que a ANEEL somente esteja vendo isto agora.

    2. Renato Queiroz
      7 de março de 2018 at 21:44

      O ILUMINA há muito tempo levanta a questão do aumento dos preços da energia elétrica. E o gráfico apresenta que a partir de 1995 o acréscimo veio com toda a fôrça. Ou seja, o modelo do setor elétrico e seus remendos não conseguiram segurar os aumentos. Mas sempre ,me pareceu, que falar nisso poderia suscitar alguma referência aos tempos passados no setor e aí viria o tema : será que o melhor seria os custo do serviço. Esse ponto seria uma heresia, coisa de canhotos.A Igreja Católica sustentou por mais de mil anos que todo canhoto havia sido criado pelo diabo Agora a ANEEL sentiu que a realidade deve ser encarada e quem sabe não é coisa do diabo. Ou sera que a Agência passou para o lado de inferno ….. .

    3. Alberto Lima
      8 de março de 2018 at 9:58

      Em resumo: não vão fazer nada!
      Questão de subsídios: pra quem?
      Pro consumidor de baixa renda? Pro empresário?
      Tudo muito vago.
      Vai ficar na mesma.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *